"A Minha Rua", por Purificação Ribeiro

2021-07-31

A rua que me viu nascer, batizada com o nome do dr. Dias Oliveira, um pedaço de chão estreito e íngreme, entalado entre a Igreja Paroquial e o Senhor do Escoural (ou Escoiral) e com um braço que se estende até à Açuda, cheirava a farinha, a lenha queimada e a pão dourado, aromas saídos das chaminés de 4 padarias e de 2 biscoitarias ali instaladas. Ainda hoje, quando por lá me aventuro, aspiro esses cheiros eternos, entranhados nas pedras da calçada e nas paredes dos prédios de outrora e de agora. As memórias são como as nossas sombras, seguem-nos os passos, os gestos e atitudes, retalhos eternos de um puzzle que nos desenha e ...