Conheça a história do edifício da Oficina da Regueifa e do Biscoito de Valongo

2021-05-01

1893 - Nasce a Associação Humanitária dos Bombeiros de Valongo na Rua de S. Mamede.

1905 - Mudança para o Largo da Avenida D. Carlos I, hoje Largo do Centenário.

1907 - Inauguração a 17 de agosto de 1907, aquando da comemoração do seu 13.º aniversário.
 
Rés-do-chão e 1.º andar na zona intermédia para os bombeiros e equipamentos.
A restante estrutura servia para “outros fins de verdadeira utilidade geral, criando um gabinete de leitura, uma sala destinada aos retratos dos beneméritos e um salão próprio para conferências e reuniões, o qual se poderia converter em teatro”, para educação e lazer da população, em especial da mocidade, dentro da mentalidade progressista da 1.ª República, Ata da Sessão da AHBV de 12/4/1905.
 
Obra nasce graças à Câmara Municipal, aos emigrantes no Brasil, à C.ª de Seguros a Urbana Portuguesa, ao trabalho das senhoras e cavalheiros com maior posição e fortuna, à criação de bazares, a quermesses beneficentes, a espetáculos vários, às joias e mensalidades dos sócios. 
Os menos afortunados deram a força do seu trabalho, a madeira e a pedra, assim como seu transporte.



1907 - Teatro Oliveira Zina - Novo piso na ala direita
Pelos serviços prestados e pelo legado de 1000$000 reis.

Estrutura semi-esférica de ferro e vidro, ao gosto do Crystal Palace de Londres e do seu congénere do Porto, construído em 1865.
A zona do palco e boca de cena era enriquecida por uma estrutura decorada com figuras femininas alegóricas, instrumentos musicais e equipamentos dos bombeiros.
Para fazer face às despesas, alugou-se este espaço. A primeira récita realizou-se a 15 de junho e no ano seguinte começou a passar cinema.



Na fachada do corpo central encontrava-se o seguinte dístico:

“Sit monumentum landio, quae ducatur in acoum illis qui faciles recete escultos
que beando doctrina nores bene de patria merit sunt”

“monumento de glória imperecível para aqueles que se tornaram beneméritos
da sua terra natal contribuindo para a suavidade e polimento dos costumes com a riqueza da verdadeira instrução."



O Salão Nobre passa a chamar-se Salão Marques Saldanha, em homenagem ao presidente honorário da Associação, pelos importantes serviços prestados para engrandecimento da mesma e gravado a letras douradas no referido espaço, com referência a 1908, embora só inaugurado a 12 de agosto do ano seguinte.



1936 - Substituição da cobertura original por um 1.º piso em tudo semelhante ao já existente no corpo central.

Anos 50/60 - acrescentou-se o 1.º andar na ala esquerda, ficando o conjunto com dois pisos em toda a sua extensão e revestido com azulejo industrial almofadado, cor sangue-de-boi.

Fim anos 70 - AHBV pretende construir um novo quartel em terreno cedido pela CMV.

1991 - Desocupação do edifício.

2015 - Câmara toma posse do edifício, através da constituição de direito de superfície, com promessa unilateral de venda, escrituras públicas celebradas a 15 de maio de 2015.



2020 – Abertura da Oficina da Regueifa e do Biscoito de Valongo.