O que explica a fama do pão e dos biscoitos de Valongo?

2021-05-03

Em Valongo, o fabrico de pão e biscoitos de elevada qualidade é secular. Beneficiando da existência de moinhos, de nascentes de água, da lenha das serras e da passagem da estrada real que a ligava à Invicta, Valongo especializou-se na produção e abastecimento de pão à cidade do Porto, pelo menos desde o século XVII, de acordo com registos de época. 
A partir do século XVIII, multiplicou-se o número de padarias no centro urbano, fruto da vitalidade do setor da panificação e do carácter geracional do negócio. As valongueiras rumavam ao Porto três vezes por semana para vender sêmeas, moletes e regueifas nas feiras do pão, mas também nas estações de comboio, possibilitado pela conclusão das linhas ferroviárias do Douro e Minho em 1875. Com a industrialização, o setor da moagem e panificação acabou por se desenvolver também na cidade do Porto, levando as padarias valonguenses a adaptar a sua produção às novas exigências do mercado. Surgem a partir dos finais do século XIX as biscoitarias como um segmento económico alternativo e de grande sucesso, tendo o século XX sido marcado pela regulamentação do setor, pela mecanização da produção e pela abertura a novos mercados nacionais e internacionais.